Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Exclusivo > 2019 > 148 - abril e maio > Exclusivo Online > Transporte público para todos
Início do conteúdo da página

Transporte público para todos

Publicado: Sexta, 05 de Abril de 2019, 14h42 | Última atualização em Sexta, 05 de Abril de 2019, 14h43 | Acessos: 118

Em Tucuruí, ônibus monitorados por GPS beneficiam deficientes visuais

Nesta figura, está ilustrado o Diagrama Geral do modelo de sistema de monitoramento veicular.
imagem sem descrição.

Por Renan Monteiro Ilustração do pesquisador

Imagine um futuro próximo no Pará em que deficientes visuais possam utilizar o transporte público com facilidade, sendo informados sobre o itinerário dos ônibus e sobre os pontos ao longo da viagem. Esse é o objetivo do mestrando Leandro Franco de Sá ao desenvolver o Projeto Modelo de referência open-source de monitoramento veicular do transporte coletivo urbano voltado ao auxílio de deficientes visuais.

Vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada (PPCA), do Núcleo de Desenvolvimento Amazônico em Engenharia (NDAE/ Campus Tucuruí UFPA), o projeto desenvolvido pode monitorar, Via GPS, os ônibus de transporte público. O orientador do projeto, professor Heleno Fülber, explica como funciona a tecnologia assistiva: “Por meio dos dados de coordenadas (latitude e longitude) recebidos por um módulo GPS instalado no ônibus, o sistema localizará o veículo e, conforme o transporte coletivo percorre o itinerário, o alto-falante informa o ponto de parada”.

O professor informa que o sistema desenvolvido se comunicará com um servidor web (computador), por meio de tecnologia GPRS, para informar o horário em que o ônibus está passando em cada ponto de parada. A General Pack Radio Service (GPRS) é uma tecnologia de telefonia celular que permite acesso à internet e é antecessora do sinal 3G. Assim o sistema de monitoramento utilizará um chip de celular para se conectar à internet e enviar os dados de localização dos ônibus monitorados pelo servidor web.

Para atuar em conjunto com esse sistema, está sendo desenvolvido um aplicativo para dispositivos móveis. Com tal aplicativo, o indivíduo com deficiência visual poderá selecionar uma linha de ônibus e um ponto de parada de tal linha e ser avisado com antecedência, pelo app, quando um ônibus da linha selecionada estiver se aproximando do ponto de parada selecionado. “Para que o ônibus seja monitorado pelo aplicativo para dispositivos móveis, é necessário que os dados de sua localização estejam disponíveis em um repositório (computador) acessível através da internet. Tal repositório é o servidor web, com o qual o sistema de monitoramento se comunicará para envio e armazenamento das informações de localização dos ônibus monitorados. O aplicativo buscará as informações de monitoramento nesse servidor”, detalha o autor da pesquisa, Leandro de Sá.

Testes serão realizados em linhas que levam até a UFPA e ao IFPA

O projeto está em sua etapa final. Para a realização de testes, ocorrerá a instalação do sistema em ônibus do transporte coletivo de Tucuruí, avaliando a proficiência e a confiabilidade das informações prestadas pelo sistema. Com o feedback, serão feitos ajustes na tecnologia, buscando reparar possíveis inconsistências.

A linha de ônibus escolhida para teste do sistema será uma que tenha como destino o prédio do IFPA – Campus Tucuruí (localizado na Av. Brasília, próximo ao Instituto Médico Legal do município) e o prédio da UFPA – Campus Tucuruí. Além do fato de as instituições possuírem alunos com deficiência visual que utilizam diariamente as linhas de ônibus, sendo potenciais usuários/testadores do sistema, as linhas possuem o maior itinerário na cidade de Tucuruí, passando pela Vila Permanente da Eletronorte e por 13 bairros.

De acordo com Leandro de Sá, para os testes de usabilidade, serão aplicados questionários aos membros da Associação dos Deficientes Visuais e Amigos do Sudeste do Pará (ADVASP), com sede em Tucuruí, para verificar a facilidade de acesso à informação, a navegabilidade do aplicativo e a clareza nas informações prestadas.

O orientador da pesquisa, Heleno Fülber, afirma que, depois do período de testes e de validação do modelo, havendo interesse da empresa de transporte coletivo urbano de Tucuruí em continuar com o sistema em operação, este poderá ser mantido e expandido para outras localidades, conforme a demanda. Ao desenvolver o projeto em open-source (código aberto), o objetivo dos pesquisadores é permitir que este seja livremente adaptado, melhorado e implantado em outras cidades, alcançando um número maior de beneficiados.

 Ed.148 - Abril e Maio de 2019

Adicionar comentário

Todos os comentários estão sujeitos à aprovação prévia


Código de segurança
Atualizar

Fim do conteúdo da página