Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Página inicial > 2022 > 164 - setembro, outubro e novembro > Risco e monitoramento constantes
Início do conteúdo da página

Risco e monitoramento constantes

Publicado: Quarta, 14 de Setembro de 2022, 12h30 | Última atualização em Quinta, 06 de Outubro de 2022, 19h59 | Acessos: 1883

Dissertação cria aplicativo para inspeção de barragens

O Software Inspeção e Segurança de Barragens aperfeiçoa o tempo de inspeção, a mobilidade do inspetor, além de garantir a segurança dos dados coletados.
#ParaTodosLerem: Ilustração mostrando telas de celulares com o aplicativo de inspeção de barragens aberto. As ilustrações estão alinhadas horizontalmente.
#ParaTodosLerem: Ilustração mostrando telas de celulares com o aplicativo de inspeção de barragens aberto. As ilustrações estão alinhadas horizontalmente.

Por Bruno Roberto Foto Acervo da pesquisa

Fevereiro de 2018, Barcarena/PA. Após fortes chuvas, moradores ficaram assustados com a lama avermelhada que invadiu as comunidades localizadas ao redor da barragem de rejeitos da Hydro Alunorte. A suspeita, confirmada pelo Instituto Evandro Chagas, era de que dejetos de bauxita tivessem vazado da mineradora. O transbordamento da barragem causou um desastre socioambiental.

Esse episódio evidencia os perigos que as barragens representam caso ocorra algum erro na construção ou na manutenção delas. O tempo de existência e os fenômenos da natureza também influenciam. Vale ressaltar que o Brasil tem sido palco de outros acidentes, como os de Brumadinho/MG (2019) e Joinville/SC (2005).

Para evitar desastres, é preciso um monitoramento constante. As fiscalizações são de responsabilidade dos órgãos integrantes do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). Por outro lado, acerca das inspeções, de acordo com a Lei Nº 14.066, o empreendedor, isto é, quem utiliza a barragem ou o dono da terra onde ela está, é responsável pela segurança, pelos danos decorrentes de seu rompimento, pelo vazamento ou mau funcionamento e, independentemente da existência de culpa, pela reparação desses danos.

Diante disso, a inovação nos métodos de inspeção é importante para reduzir os riscos de desastres, e a tecnologia é uma aliada nesse processo. O engenheiro civil Evandro Lopes dos Santos Junior verificou o benefício da tecnologia na dissertação Proposta de inspeção de barragens através de um aplicativo para dispositivo móvel, apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Barragens e Gestão Ambiental (PEBGA/NDAE) do Campus Tucuruí/UFPA. Evandro Santos Junior desenvolveu o Software Inspeção de Segurança em Barragens (ISB) para celulares e tablets com sistema operacional Android.

Teste foi realizado no município de Parauapebas

O processo de criação do aplicativo foi dividido em três etapas. Na primeira, as funcionalidades e a interface do aplicativo foram definidas. Na segunda etapa, as funcionalidades foram desenvolvidas. Na última, foi feito um pré-teste das funções presentes no software e, em seguida, um teste prático na barragem de terra Igarapé Ilha do Coco nº 1, localizada no município de Parauapebas/PA.

A verificação pelo Software Inspeção de Segurança em Barragens (ISB) diminuiu a duração do processo em cerca de 40% quando comparado ao método convencional. Além disso, o aplicativo possibilita mais mobilidade, pois exige que o inspetor carregue apenas um dispositivo móvel e não mais um grande aparato de materiais, como GPS (Global Positioning System – Sistema de Posicionamento Global), trenas, papéis e canetas. Outro diferencial está no armazenamento e na segurança dos dados, haja vista que não há o risco de perder ou rasurar as anotações. O software também tem autonomia para funcionar mesmo sem disponibilidade de internet.

Entretanto, mesmo com as tecnologias possibilitando mais eficiência, o número de acidentes em barragens aumentou. Segundo a Agência Nacional de Águas, em 2018, três casos foram registrados, muito abaixo dos 44 relatados em 2020. “A contradição entre a aplicação tecnológica na segurança de barragens e o crescimento do número de acidentes evidencia um problema que a sociedade precisa enfrentar: a ausência de profissionais. O Mestrado em Segurança de Barragens da UFPA é o único do país. Há poucos profissionais com competência para formar outros profissionais”, informa o engenheiro civil.

A dissertação, orientada pelo professor Adriano Frutuoso da Silva, relatou dificuldades ao utilizar o ISB. O aplicativo ocupou muito espaço na memória RAM (Random Access Memory - Memória de Acesso Aleatório) do dispositivo móvel, pois o software enquadra os principais tipos de barragens presentes no Manual do Empreendedor Sobre Segurança de Barragens. Isso gerou erro na reprodução de comandos e no salvamento de dados. A respeito das dificuldades na produção do trabalho, Evandro Santos Junior destaca o isolamento social, imposto pela pandemia de covid-19, e o acesso aos empreendimentos.

Beira do Rio edição 164

Fim do conteúdo da página