Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English Spanish

Opções de acessibilidade

Início do conteúdo da página

Simplicidade, técnica e talento

Publicado: Quinta, 30 de Janeiro de 2020, 19h07 | Última atualização em Quinta, 30 de Janeiro de 2020, 20h33 | Acessos: 928

Mestre Vieira deu sotaque único para as guitarras do Norte

Criador de uma técnica "difícil de tocar e impossível de copiar", Mestre Vieira conquistou o mundo com a sua guitarrada.
imagem sem descrição.

Por Aila Beatriz Inete Foto Luciana Medeiros

Mestre Vieira foi um músico paraense muito querido, seu talento deu grande contribuição para a música e a cultura paraenses. A criação da guitarrada trouxe uma nova forma de se tocar a guitarra elétrica no norte do país. A simplicidade, a técnica e o talento de Vieira eram tão impressionantes que conquistaram o mundo. Assim, embalado pelos ritmos, o guitarrista e professor Saulo Christ Caraveo desenvolveu a dissertação A Nascente de um Rio e Outros Cursos: A Guitarrada de Mestre Vieira, no Programa de Pós-Graduação em Artes (PPGARTES/ICA), orientado pela professora Sônia Chada.

De acordo com Saulo Caraveo, a representatividade do Mestre Vieira motivou-o a pesquisar sobre a “guitarra da guitarrada” e a entender mais as técnicas, pois este era um tema que o autor já estudava. Mas, após iniciar a pesquisa, a dissertação se transformou em um percurso antropológico sobre a história de Vieira. “Toda a ideia de escrever sobre questões harmônicas e melódicas, dos arpejos e dos gêneros que incentivavam as composições, ficou de lado”, conta o pesquisador.

“Eu morei perto de uma sede onde tocavam as gafieiras e também aconteciam as festas de aparelhagens. Tive muito contato com esse universo. Um dos objetivos do trabalho era fazer uma análise musical das guitarradas e, principalmente, da trajetória de Vieira e de como ele instalou esse tipo de música, colocando-o em um lugar na história da guitarra, no mundo”, relembra Saulo. O processo metodológico foi a Etnografia, com a abordagem do trabalho dentro da Etnomusicologia. Foram feitas entrevistas com o próprio Mestre Vieira e com outras pessoas que fizeram parte da trajetória do artista.

Pesquisa revela o olhar de um guitarrista para outro

Saulo Caraveo entrevistou Vieira meses antes de seu aniversário de 83 anos. De acordo com o professor, a entrevista foi reveladora. “Após a morte de Vieira, conversei com Dejacir Magno, o primeiro cantor da banda dele chamada ‘Os Dinâmicos’. Em meio a tudo isso, surgiu o Clube da Guitarrada e eu participei de vários eventos do clube. Os filhos do Vieira também tocaram lá. Foi um envolvimento tão intenso que me deu essa propriedade para falar sobre o assunto sob a minha perspectiva como guitarrista, pesquisador e fã do Vieira”, afirma o pesquisador.

De tanto se envolver com a história de Mestre Vieira, a dissertação acabou virando uma etnografia muito particular, trazendo a visão de um guitarrista sobre outro. “O fato de Vieira ter desenvolvido um gênero musical baseado na sua vivência é maravilhoso. E eu consegui contar essa história com os depoimentos dele e dos filhos, da visita ao acervo da família e da documentação que encontrei”, revela Saulo Caraveo.

Saulo destaca que Vieira foi muito importante para o surgimento de outros cantores na música paraense. “A guitarrada surge nos anos de 1970, diante de um contexto histórico muito importante. O fato de ele sair de Barcarena (PA) e conquistar o mundo é fantástico! Alguns dizem que ele cria a lambada nessa mesma época, e, nessa trajetória, vem o Beto Barbosa, a Banda Kaoma”, conta o músico. Com o crescimento desses artistas, a guitarrada e a lambada instrumental que Mestre Vieira fazia caíram um pouco em desuso.

Nesse sentido, o pesquisador chama atenção para a importância do músico paraense Pio Lobato. Segundo Saulo Caraveo, Pio resgata a guitarrada com seus trabalhos. Contudo o professor acredita que muitas pessoas, aqui mesmo no Pará, não conhecem a guitarrada, e isso fica claro nos momentos em que apresenta os resultados da pesquisa.

“Existe uma luta sobre quem é o criador da lambada. Vários artistas reivindicam a autoria. Eu acho que está tudo dentro de um contexto de contribuição para o surgimento da lambada. Só que o Vieira foi especial. Ele deu tons finais para o que é a guitarrada hoje”, avalia Saulo Caraveo.

Movimento pós-moderno na Amazônia brasileira

Hoje, a guitarrada é um gênero musical instrumental, uma “nova” forma de se tocar guitarra no mundo. “A guitarrada tem esse sotaque que é particular e não é fácil tocar”, afirma Saulo Caraveo. Por isso Caraveo acredita que o Mestre Vieira merecia um lugar especial na historiografia mundial da guitarra elétrica, pois a técnica desenvolvida por ele é quase impossível de copiar.

Para o músico, existe agora uma nova geração de guitarristas. “O Pio Lobato e o Félix Lobato fazem parte dessa geração contemporânea da guitarrada, e outros estão surgindo. Para mim, a guitarrada se tornou um movimento pós-moderno, considerando cultura, espaço e tempo na Amazônia brasileira”, revela o pesquisador.

Em Barcarena, Mestre Vieira era um ídolo e um grande representante da cultura local. Suas histórias eram conhecidas na cidade e contadas com muito orgulho e apreço. Mestre Vieira morreu em 2 de fevereiro de 2018, aos 83 anos. Deixou mais de 15 discos gravados e um legado que serve de inspiração para muitos artistas paraenses. Para homenagear a história de Vieira, a Prefeitura Municipal de Barcarena decretou o dia 29 de outubro, data de seu nascimento, o Dia Municipal da Guitarrada.

“A minha pesquisa tem o meu olhar como guitarrista. Eu me envolvi muito com o movimento da guitarrada. Conhecer o Vieira e entrevistá-lo foi uma maneira de me aproximar do criador. Perceber o que ele sentia quando falava sobre a sua criação foi enriquecedor. Esta foi a primeira dissertação sobre o assunto e espero que outras pessoas deem continuidade”, finaliza.

Preservando a memória do Mestre

Inventário Mestre Vieira – o Projeto Inventário Mestre Vieira tem como objetivo atualizar o site em memória de Mestre Vieira, com conteúdos inéditos sobre a sua carreira; lançar um songbook com 30 partituras; disponibilizar sua discografia completa e publicar uma linha do tempo com a sua trajetória. A apresentação do projeto, com a realização de workshops, está prevista para ocorrer em abril/2020.

Coisa Maravilha - A Invenção da Guitarrada – ainda em 2020, será lançado pela jornalista, produtora cultural e coordenadora do projeto, Luciana Medeiros, o documentário Coisa Maravilha - A Invenção da Guitarrada, que conta a história do Mestre.

Espaço de memória – existe um projeto de transformar a casa do Mestre Vieira em um espaço de memória, com suas guitarras e objetos pessoais preservados.

Os Dinâmicos – filme de animação que conta a história de Vieira e seus amigos. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=TQlCJWbzw9s&t=7s

Dia Municipal da Guitarrada – 29 de outubro, data do nascimento de Mestre Vieira, foi decretado pela Prefeitura Municipal de Barcarena para homenagear o guitarrista.
Mais informações: www.projetomestreviria.com.br

Ed.153 - Fevereiro e Março de 2020

Adicionar comentário

Todos os comentários estão sujeitos à aprovação prévia


Código de segurança
Atualizar

Fim do conteúdo da página